Endereço: Av. Tijucussu, São Caetano/SP 

© 2018 por Instituto Brasileiro de Expedições Sociais/ Projeto Canudos. Todos os direitos reservados.

Encontrando o Belo Monte em mim

15.12.2016

Então se destruíram duas vezes aquela cidade, uma pelo fogo, outra pela água, todavia nunca destruíram a fé de um povo unido por Antônio Conselheiro e suas crenças, que mais do que nunca cria raízes, esbanja vida, bondade, esperança, respeito e, como não havia de faltar, história...

 

Como toda cidade que ainda guarda resquícios do coronelismo, muito presente ainda no nordeste brasileiro, com uma prefeitura pobre de um prefeito rico, a população sofre pelas faltas e pelas ausências. Sendo hoje o que mais assombra o sertanejo, que vive em uma dieta de farinha e feijão, é o preço do mesmo, visto que em uma de nossas visitas domiciliares uma mãe relata: “Antes era cinco reais o quilo, hoje está quinze, antes se comia, hoje se divide o que tem”. Retornamos a São Paulo cabisbaixos pensando se voltaremos à época dos famigerados.

 

O Projeto Canudos que em sua 5ª edição ainda tenta suprir de forma emergencial o abandono da saúde como setor dessa população, age baseado na política de Saúde de Família por meio de visitas domiciliares, atendimentos ambulatoriais e educação da população.

 

Em uma visita a casa de um sertanejo, este irá lhe oferecer a melhor cadeira, mesmo que a única, porque você é a pessoa mais importante que ele já recebeu em sua residência. Irá te contar a história da sua família toda, pois é o que mais lhe orgulha, e por educação você deve ouvir. Muitas vezes não terá banheiro, em outras serão tantos agregados que não conseguirá fazer o seu genograma. Não se assuste se ele fizer apenas uma refeição ao dia e se ainda não a tiver feito e, mesmo assim te oferecer o único pedaço de bolo e o último gole de café. Não aceitar será considerado a maior ofensa que já fizestes pra ele. O coração é maior que ele, generoso e seu abraço tão apertado, capaz de juntar todas as partes que estavam desconexas no seu ser e acabar com todas as suas dúvidas. Te alivia, te conserta, e dá vontade de sair por aí consertando o mundo...

 

O médico antes considerado algo divino, com o projeto se tornou amigo, parceiro da comunidade, capaz de entender aquela população e assim melhor cuidar de cada núcleo familiar. O projeto foi capaz de transformar muito a população e agora busca deixá-la autossustentável.

 

Atender com uma equipe multidisciplinar é imprescindível para o sucesso de uma intervenção como essa, entretanto, aprender que acima de colegas de trabalho podemos ser amigos e dividir o peso da jornada torna-se muito mais leve e tudo mais agradável fez com que Canudos fosse tão indescritível.

 

Todo médico sonha em tirar a dor de um paciente com a mão, após retirar um corpo estranho de 2,5 x 1,5cm da orelha média de uma paciente que sofria de dor há 3 meses, com uma pinça de dentista e a lanterna do meu celular, posso dizer o que é isso. Canudos me fez ser o que eu nunca imaginei que pudesse e me fez ver a médica que nem eu acreditava que existia em mim. A gratidão dos olhos de um paciente, um sorriso, receber docinhos ao chegar em casa, um abraço apertado, segurar a mão e estar junto ao dar uma notícia, esse um bilhão de pequenas grande coisas que fazem a medicina valer a pena.

 

 

Share on Facebook
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procurar por tags
Arquivo
Please reload