Compreender o outro em sua diferença

Quando soube do Projeto Canudos, logo de início me interessei. O fato de estar cursando o último ano do curso de Terapia Ocupacional, fez surgir um desejo dentro de mim em absorver tudo o que podia desta comunidade. A princípio meu pensamento me levava a crer que encontraria uma realidade totalmente diferente da minha e sem muitos recursos. Porém, mal sabia o que me esperava... Ao chegar em Canudos me deparei com pessoas altamente afetivas e receptivas, fiquei pensando como pessoas que nunca me viram na vida me levariam para dentro de suas casas? E foi exatamente isso que aconteceu. Eu posso dizer que fui amada e querida por quase 15 dias. Dias que ensinaram a ver o outro em sua singularidade e especificidade, que me levaram a crer que com pouco se pode viver bem e muito feliz. Dias que me fizeram entender a diferença que a água faz na minha vida, que me mostraram que o que realmente importa não é o salário alto que terei após um longo mês de trabalho e sim a qualidade de vida ao passar dos anos, amizades que construí, o amor que eu plantei e o quanto eu aprendi. Só tenho a agradecer ao Projeto Canudos pela oportunidade de vivenciar um contexto no qual hoje, me sinto totalmente inserida. Como um dos moradores nos disse: “Vocês pensam que o sertão é um lugar ruim? Aqui a gente cria galinha, planta e come. Tristes são vocês de São Paulo, que com um salário mínimo ainda passam fome”.Este é o sertão da Bahia, lugar de força, vínculos, valores, afeto, compaixão e aprendizado.


#2014 #TerapiaOcupacional #Diário

Posts Recentes
Procurar por tags
Nenhum tag.
Arquivo